11 dezembro 2005

O ACIDENTE DE ONTEM

.
O menino levava um buquê de flores
e um cartão com endereço.
O bonde matou o menino.
Um horizonte de olhos
reuniu o sofrido instante.
Dentro da manhã de abril
alada em altas bandeiras,
o sangue corria puro, simples,
sobre os trilhos de ferro
sobre as pedras da rua.
Ninguém leu o endereço do cartão.
.
HEITOR SALDANHA
.
("Um horizonte de olhos/ reuniu o sofrido instante" cria a própria imagem do real, nessa tarefa impossível da poesia de se aproximar do mundo através da palavra, signo totalmente arbitrário.)

1 Comments:

Blogger cezar dias disse...

que dizer deste senão, como antes, que gostei demais.

12/12/05 19:10  

Postar um comentário

<< Home