22 junho 2010

JOSÉ SARAMAGO POETA

O ficcionista português, falecido há pouco, publicou os livros de poesia Os poemas possíveis (1966) e Provavelmente alegria (1970), além da prosa poética O ano de 1993 (1984). Uma palhinha do Saramago menos conhecido:

EPITÁFIO PARA LUÍS DE CAMÕES

Que sabemos de ti, se só deixaste versos,
Que lembrança ficou no mundo que tiveste?
Do nascer ao morrer ganhaste os dias todos,
Ou perderam-te a vida os versos que fizeste?


José Saramago
Os poemas possíveis, Lisboa: Caminho, 1985.

Um dia depois da sua morte, o reinado da insensibilidade no Vaticano emitiu truculenta nota contra o escritor, através do L'Osservatore Romano, em função de um livro de ficção de 1991, O evangelho segundo Jesus Cristo, perspectiva humanizada do Senhor. A lista de incômodos deve ser grande, a começar por outro português de prestígio, Fernando Pessoa, autor de vários poemas sobre Jesus Cristo com abordagem semelhante. A visão de mundo de Saramago, expressa ainda em entrevistas, também foi objeto da nota. A propósito, o irônico poema abaixo seria de qual heterônimo, Ricardo Reis ou Fernando Pessoa "ele mesmo"? Manuela Pereira da Silva contesta a sua inclusão na obra de Ricardo Reis, por ser este adepto do paganismo, no apêndice de Poesia de Ricardo Reis, São Paulo, Cia das Letras, 2000, volume organizado por ela.

.....Os deuses são felizes.
Vivem a vida calma das raízes.
Seus desejos o Fado não oprime,
.....Ou oprimindo, redime
.....Com a vida imortal.
Não há sombras ou outros que os contristem.
.....E, além disso, não existem...

Fernando Pessoa
Poesias coligidas, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.

Marcadores: , ,

1 Comments:

Blogger Roselaine Funari disse...

Caro Sidnei,
sempre que visito este teu espaço,
conheço algo novo. Te parabenizo
por isso
e
agradeço
a palavra amiga deixada lá no meu blog.

;)

7/7/10 09:33  

Postar um comentário

<< Home