28 maio 2009

PER UNA AMICA

não vou dormir
sem
do recanto lábil
da
tua fala dizer
pelo
menos um discer-
nir
avesso de todo
favo:
me gusta hablar
con
tigo sin labios


Sidnei Schneider


Não dava nada por esse poema. Há poucos dias fui a ele com outra retina. O que mudou se o poema não mudou? Agradeço a quem deixar sua opinião nos comentários. Mas sem essa de que o melhor para as boas relações é postar somente afáveis elogios.

6 Comments:

Blogger Ed disse...

Assim fica difícil. E se eu quiser ser afável? E se a única opção de comentário, nesse caso, for justamente essa?

Sem essa de pôr a gente na parede. ;)

Fica aqui meu protesto não-afável. Ou quase...

Bj

28/5/09 20:05  
Blogger Sidnei Schneider disse...

ei,não é uma parede, apenas um obstáculo, um muro a meia altura. obrigado pelo comentário, edna.

28/5/09 21:05  
Anonymous Ed disse...

Mas eu sou baixinha...

P.S.: Sortuda tua amica.

29/5/09 13:26  
Blogger Nina disse...

O que mudou?Cabe um lugar comum:o que não muda?Cada nascimento ou pôr de sol é diferente porque o inevitável nos visita,o novo nos rodeia e tu tens olhos para ver e capacidade de escrever.Avesso,sem lábios.....

30/5/09 01:52  
Anonymous Anônimo disse...

Gostei mesmo.
Beijo

5/6/09 20:02  
Anonymous Anônimo disse...

faltou, Ana Lúcia

5/6/09 20:03  

Postar um comentário

<< Home